segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Truques de fotografia

Deixe a timidez de lado. Pegue a câmera guardada no fundo da gaveta e prepare-se para fazer grandes fotos. Aqui você aprenderá a fotografar o seu assunto predileto, usar o flash e selecionar o filme apropriado.
 Vamos! Pegue sua câmera e aprenda a “congelar” um ginasta em pleno ar, a mostrar a família e os amigos agindo de maneira espontânea e natural, e volte de férias com aquelas fotos que seus amigos realmente gostariam de ver e apreciar.

 Uma mão sem firmeza apertando o botão disparador da câmera produzirá uma foto tremida. Segure firmemente a câmera com as duas mãos. Mantenha os braços junto ao corpo para dar maior firmeza. Aperte suavemente o botão disparador. As fotos sairão nítidas.
Quando em dúvida, aproxime-se do assunto que você vai fotografar (atenção para a distância mínima recomendada no manual da sua câmera). Aproximar-se do assunto é, provavelmente, o passo mais importante para se obter boas fotos. Tente fazer com que a sua foto diga: “este é o meu assunto”. Preencha um terço ou mais da área da foto com o assunto que você escolheu para fotografar.
Olhe através do visor de sua câmera e examine o cenário de fundo antes de pressionar o botão disparador. Movimente-se até eliminar tudo aquilo que possa desviar a atenção do assunto de sua foto. Experimente escolher como fundo o céu, a água ou a grama.
Fotografe pessoas entretidas em seus ambientes naturais. Mostre uma criança brincando com sua bicicleta, ou um adulto esculpindo um objeto, etc. Converse com elas para mantê-las à vontade. Pergunte o que estão fazendo. Agindo assim, você fará com que elas fiquem relaxadas em atitudes espontâneas e sem fazer pose.
Estude a cena de sua foto. Coloque o assunto principal afastado do centro da fotografia. Ao fazer fotos de paisagens, acrescente algumas linhas acentuadas como uma estrada, cerca ou curso de um rio que direcionem a atenção para o assunto principal da foto.
A iluminação tem uma influência decisiva em sua foto. Estude a luz antes de tirar a fotografia, como os tons dourados de um amanhecer ou pôr-do-sol. Verifique como a direção da luz afeta o assunto: luz frontal (o sol atrás de quem está fotografando), para obter fotos brilhantes e nítidas; iluminação por trás (o sol por trás do assunto), para criar silhueta; iluminação lateral (o sol iluminando um dos lados do assunto) para mostrar a textura do assunto.

Movimente-se até encontrar o ângulo para tirar a foto. O simples fato de você se curvar, esticar ou abaixar pode melhorar bastante suas fotos. Comece com a escolha de ângulos diferentes. Ajoelhe-se ou deite-se no chão para mostrar flores no primeiro plano. Ou, então, fotografe do alto (da janela do segundo andar de um prédio, por exemplo) para mostrar os desenhos de uma calçada.
O movimento está em toda parte, um “skatista” fazendo piruetas no ar e se apoiando em uma das mãos, ou uma gaivota sobrevoando e mergulhando no mar. Para câmeras com velocidades do obturador ajustáveis, use um filme de alta sensibilidade, como o KODAK ISO 400, e a velocidade ajustada para 1/500 ou 1/1000 de segundo a fim de “paralisar a ação”. Pressione o botão disparador um pouquinho antes do ponto culminante do movimento.
Regras, regras, sempre regras. Ao fotografar, tenha sempre em mente que você está sob o controle de uma série delas. Desobedecer as regras, contudo, pode levar a uma foto bastante original. Aquela que faz você dizer em alto e bom som: “esta é minha foto preferida”.
Nas férias ou em casa todos temos, pelo menos uma a duas vezes por ano, de pôr em prática os nossos dotes de fotógrafo. Para uns é um prazer registrar tudo o que veem, para outros a tarefa é mais complicada. Ou porque falta o jeito ou a paciência.
Mas como estes momentos são inevitáveis o melhor é estar preparado e conhecer algumas dicas básicas para garantir boas fotos. É certo que as máquinas digitais abriram caminho à experiência sem limites com resultados imediatos, mas mesmo assim há coisas que é bom saber. Começando pelo mais simples, vamos falar de posicionamento:
Diferentes perspectivas da pessoa ou objetos fotografados transmitem diferentes mensagens a quem vê uma fotografia. Quando pretende destacar o fotografado criando um efeito em que este parece maior do que realmente é, pode tirar a foto a partir de um plano inferior para garantir um efeito de superioridade da pessoa ou elemento fotografado. Da mesma forma pode garantir do seu fotografado um ar mais confiante e seguro se este ao invés de olhar diretamente para a máquina fixar os olhos num ponto mais elevado.
Em qualquer situação o fundo pode ser um elemento importante para dar cor e preencher a fotografia, mas não em demasia. Fundos com cores berrantes ou padrões muito fortes podem dar um resultado estranho. Jogue com este elemento que pode ter mais ou menos destaque de acordo com a posição do fotografado, que pode ser mais central ou lateral.
A este propósito há que dizer que fixar o elemento principal de uma foto no centro já era. Pode obter resultados bem melhores se escolher outras posições. Um truque é dividir o plano em três linhas imaginárias (horizontais e verticais). Os pontos de intersecção destas linhas são os mais interessantes.
Se o objetivo é de pormenor, de rostos por exemplo, não há melhor do que optar pelas fotos de proximidade. Uma solução interessante é focar a sua objetiva num dos lados do rosto. A função macro da câmara digital simplifica uma boa foto com estes objetivos. Quando a atenção da objetiva está focada num rosto uma boa dica é tirar sempre a foto ao nível dos olhos fotografado. Os dpi indicam a quantidade de pixels em cada polegada quadrada de imagem e devem ser tanto mais elevados quanto maior o nível de pormenor pretendido.
Usar o flash pode parecer simples mas não é. Esta luz extra tem um alcance variável que pode confirmar nas instruções da sua máquina, mas dificilmente chega a uma mão cheia de metros, pelo que é perfeitamente inútil em situações em que o elemento fotografado está a uma distância muito grande. Dizem os entendidos que o flash não pode ser usado nem demasiado perto nem demasiado longe.
Uma dica: quando fotografa espetáculos com uma boa luz de palco não necessita de usar flash pois essa iluminação é na maior parte dos casos suficiente. Outra dica: quando fotografa de dia, o flash é uma boa forma de diminuir os efeitos da contra-luz. Pode usá-lo para obter melhores resultados ao fotografar alguém com o sol por trás embora esta, como se sabe, seja uma situação a evitar.
Adequar a luz à situação é de fato importante para uma boa foto. Encontrar o ponto de equilíbrio por vezes não é fácil mas as mil uma funcionalidades de uma regular câmara digital têm algumas ferramentas de apoio, como o controle da cor (white balance) que acerta os tons brancos da imagem, alterados pelos diferentes tipos de luz captados na objetiva.
À noite lembre-se da função que atenua olhos vermelhos, se a tiver, e tenha em conta as limitações do flash. Se não dispuser desta função na sua máquina evite que os fotografados façam pose olhando directamente para o flash. Ainda sobre a luz saiba que os profissionais evitam fotografar entre as 10 e as 15 horas porque a luz natural é muito forte e inimiga de boas fotos, seja a paisagens ou a pessoas.

Objetos ou situações em movimento também podem representar uma dificuldade adicional a uma boa fotografia. Nestas situações procure primeiro estabilizar-se o mais possível a si, apoiando os cotovelos em algo fixo, por exemplo, e exija maior rapidez no disparo da máquina, ajustando a sensibilidade ISO. Boas fotos!