segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Fotografia subaquática

Uma das características mais marcantes quando falamos de fotos subaquáticas é aquela enorme sensação de que já vimos aquela imagem algum dia em algum lugar. Provavelmente todos já se depararam com uma situação como essa. Fato que acontece com mais frequência na fotografia subaquática do que em fotos convencionais. Por que então isto acontece?

A água por si só já impressiona e essa característica passa por cima de itens importantes como‚ por exemplo‚ a composição e momento decisivo. Outra questão relevante é que‚ por se tratar de um meio conceitualmente hostil à maioria das pessoas‚ na água a foto passa a ser registro de momento e não forma de expressão. Isto‚ porém pode ser resolvido dando especial atenção a logística da foto e do local. Se você está preparado e com uma ideia pré-definida‚ fica muito mais fácil fazer uma imagem interessante. Obviamente que quando estamos falando de fotos de natureza é difícil precisar que condições e elementos que encontraremos no local que será fotografado. Mas é inquestionável que vários fatores podem ser previstos com antecedência. Dificilmente será possível fazer uma foto aquática de um urso polar nadando na praia da Joaquina‚ em Santa Catarina‚ em contra partida‚ a chance de você conseguir fotografar boas ondas e surfistas é enorme‚ desde que a previsão do tempo seja verificada com antecedência.

Comentando especificamente de foto subaquática‚ captada por fotógrafos dos mais diversos níveis de conhecimento‚ é impressionante a preocupação que os mesmos têm com o equipamento. Gasta-se muito mais tempo e dinheiro na busca de um equipamento com mais recursos técnicos‚ do que na busca de conhecimento e formação de um olhar fotográfico. Dificilmente qualquer pessoa que pegar uma câmera com todos os recursos disponíveis e um bom conhecimento de software de tratamento de imagens fará uma foto longe do aceitável. O equipamento garante uma foto tecnicamente boa‚ foco e iluminação‚ o que para muitos é suficiente.
Mas e aquela foto surpreendente‚ onde o fotógrafo perdeu 40 minutos de mergulho esperando o melhor posicionamento do peixe mais sem vergonha que existia no ponto‚ simplesmente para fazer a imagem que ele planejou dentro das limitações que o equipamento dele tinha?
Na fotografia convencional‚ para uma grande parte dos fotógrafos‚ o equipamento já deixou de ser o diferencial. Existe uma preocupação enorme com outros fatores e obviamente que para algumas imagens é fundamental o equipamento adequado. Mas esse só deve ser adquirido quando aquela imagem que você imaginou e sonhou não pôde ser feita devido a uma limitação do seu conjunto de lentes‚ por exemplo. E quando esse fato se repetir‚ aí é um sinal de que um novo investimento poderá ser feito. Mas ainda assim é preciso avaliar se aquele momento não poderia ser pensado e avaliado sob a ótica do seu conjunto.

A cada dia surgem novos candidatos a fotógrafos que saem dos mais variados cursos extremamente preocupados com o equipamento que irão adquirir‚ esquecendo-se que o principal é o seu ponto de vista‚ a sua criatividade‚ o seu domínio sobre o equipamento. O equipamento não pode raciocinar pelo fotógrafo. Ao invés de se preocupar com o melhor equipamento e em investir o máximo que pode em lentes e câmeras‚ preocupe-se em investir em você. Fotografe muito‚ mova ao extremo a sua criatividade. Construa o seu diferencial em cima do seu olhar e não em cima do seu bolso.