segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Fotografando um book 15 anos

O desafio de encontrar locações é cada vez maior. O fotógrafo que depende delas sabe como é trabalhoso lidar com autorizações, restrições e ligações que nem sempre levam à pessoa certa. Estes e outros empecilhos nos levam à desafiar sempre a nossa criatividade em busca de imagens novas dentro das possibilidades que são oferecidas.

A locação em Belo Horizonte é um tanto singular. Fruto de obras inacabadas e algumas ocupações informais, os andares deste Mercado no qual fotografei se moldaram de uma forma bastante única. Ao visitar a locação pela primeira vez, antes do Book, encontrei um lugar com algumas aberturas no teto que permitiam uma entrada de luz natural, mas grande parte dele é coberto. Em um final de ano de clima instável, que oscila entre dias muito quentes e dias chuvosos e datas reduzidas para fotografar, esta se torna a locação perfeita.
Um lugar coberto me dá a certeza de não precisar desmarcar devido à chuva ou outro imprevisto. Ainda é possível controlar a luz de forma mais precisa.

O sol forte pode estressar muito os flashes e em alguns casos a potência deles se torna insuficiente para trazer todo o contraste, cor e brilho que desejamos.  Sets bem iluminados, seguram a perda de qualidade com isos mais altos em locações de pouca luz e, nestes casos, como a locação tem pouca luz, posso trabalhar com aberturas de diafragma maiores e ainda assim conseguir subexpor a luz ambiente e utilizar os flashes.
Começamos o ensaio pela escada. Um set fotográfico pode ser uma situação inicialmente desconfortável para quem nunca foi fotografado, desta forma, procuro fotografar a debutante em locais onde ela possa se apoiar ou encostar, até que ela se sinta à vontade para outras opções.

O conforto que um ponto de apoio pode trazer, faz muita diferença na direção e ajuda a debutante a a expressar com mais conforto as posturas. Uma boa opção é optar por poses simples e mais naturais, que sejam de fácil execução. Este Book é sobre ela e para ela.
Quando falo sobre iluminação em um workshop, gosto de mostrar todo meu processo, desde antes de descobrir no flash meu novo caminho na fotografia. Existe um motivo pra isso: conhecimentos são cumulativos e tudo que fazia desde o início, somei à outros conhecimentos e continuo reaplicando de outras formas. Vou mostrar neste artigo, duas situações similares, que exemplificam o que disse.
Um do sets deste Book 15 Anos me lembrou muito outro set que montei no centro do Rio, durante um Workshop de Book Externo. Ambos os sets são  similares, com pequenas diferenças que vou apresentar. No centro do Rio de Janeiro encontrei essa viela com  um potencial muito grande para fazer uma das fotos. A chuva deixou o chão molhado, o que traria ainda mais brilho e densidade quando iluminado,  tornando a imagem ainda mais interessante.

Como já exemplifiquei, faço a minha iluminação passo-a-passo e quase sempre, começo pelo cenário e só então ilumino a modelo. Dessa forma, consigo ver  se luz do set  interfere ou não na pessoa fotografada e se vou aproveitar ou corrigir essa situação.

Para iluminar uma locação, utilizei dois flashes, e criei uma iluminação cruzada. A parede da esquerda é iluminada por um flash à direita. A parede da direita é iluminada por um flash à esquerda.
Fonte: Este artigo é uma junção de texto extraídos da internet.