segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Flash criativo existe?

Os amadores em geral costumam condenar as fotos tiradas com flash por apresentarem efeitos artificiais. O profissional‚ ao contrário‚ não o dispensa‚ chegando inclusive a usá-lo de forma criativa‚ não deixando nenhuma pista ou evidência do emprego desse acessório‚ apresentando resultados fantásticos. Para estes profissionais‚ o uso do flash é tão imprescindível‚ quanto o uso de filtro protetor‚ parassol ou um corpo de câmera extra. Já que os filmes de maior sensibilidade comprometem a qualidade e saturação das cores‚ esses profissionais com filmes mais lentos‚ conseguem “simular” por meio da criatividade‚ esquemas de iluminação com flash‚ cuja imagem final é idêntica ou ainda melhor do que a iluminação do próprio ambiente. Velocidade de sincronismo. Para usar qualquer tipo de flash‚ seja portátil‚ acoplado à câmera‚ de estúdio e outros‚ temos que‚ primeiramente‚ observar a sua velocidade de sincronismo. Este sincronismo refere-se ao intervalo de tempo entre a abertura do obturador e o disparo do flash. Ambos devem acontecer exatamente no mesmo momento.Para isto‚ necessitamos de uma velocidade específica que dispare o flash no exato momento em que o obturador esteja totalmente aberto para atingir o pico máximo de luz. Se o manual de sua câmera informar que o sincronismo do flash está regulado para 1/60‚ e se você acidentalmente utilizar uma velocidade mais rápida como 1/125 ou ainda 1/250‚ a foto sairá gravada somente em parte‚ pois a velocidade estará fora do pico‚ e a cortina do obturador estará cobrindo parte do filme durante a exposição.As câmeras manuais mais modernas permitem sincronismo do flash até 1/250. As modelos High Tech‚ permitem até 1/800 ou mesmo 1/1000. Entretanto‚ o que importa realmente saber é que a velocidade de sincronismo é a velocidade máxima permitida a operar com flash eletrônico.