segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Arte fotográfica

Fotografar é a arte de reproduzir a vida‚ de recriar a criação com os olhos de quem deseja extrair o belo das pessoas‚ da natureza‚ até mesmo das pedras… Não é uma imagem congelada e fria‚ mas um momento eternizado e quente… A criação na fotografia indica sempre dois caminhos: o do caçador (espírito arquétipo e ancestral do Homem) e o do construtor (arqueologia do imaginário). Durante seus percursos iniciais‚ provocado pela possibilidade‚ no visor da câmara‚ de fragmentar a experimentação da realidade para entendê-la melhor‚ o fotógrafo passa a caçar suas imagens no cotidiano e assim transmitir seus apontamentos visuais aos observadores. Em determinado momento destes apontamentos‚ ele passa a refletir antes e depois da caçada. Nesta reflexão o fotógrafo afina‚ cada vez mais‚ sua densidade intelectual e instrumental. A qualidade da obra está diretamente ligada a esse aperfeiçoamento‚ o resultado do trabalho autoral é totalmente dependente da experiência vivencial do artista e da sua capacidade de processamento intelectual.

O paradoxo da fotografia é que ela sempre promove no observador a possibilidade da crença‚ ou seja‚ tudo o que vemos numa fotografia é real… Este é um ponto de partida vantajoso para os fotógrafos que constroem suas imagens. Esta ruptura liberta o fotógrafo para mergulhar em seu próprio imaginário criando sua gramática. Antes de produzir um ensaio devemos primeiramente determinar os objetivos‚ pesquisar o universo de trabalho e limitar a área de atuação para adequá-la à realização. Um ensaio deve sintetizar o tema proposto. As imagens têm de conter emoção em sua síntese visual. Cada uma delas precisa desencadear o discurso da idéia‚ esta narrativa pode ser linear ou caótica‚ mas deve ser poética e não literal. Precisamos utilizar a simbologia para que a construção das cenas evoque os índices necessários à sua percepção. A arte deve estimular a reflexão e acrescentar dimensão à experiência. PS: No final deste século/milênio‚ a fotografia foi libertada de sua vocação inicial de agente de reconhecimento externo. Hoje‚ o fotógrafo criativo discute sua própria experiência‚ as fronteiras da arte se expandem à cada momento e as chamadas técnicas de expressão visual são apenas suportes de realização das ideias.