quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Mudando a composição

Aprenda a usar a composição ao seu favor
Identifique o centro da imagem: Toda fotografia tem um centro de interesse. Este deve ser óbvio e identificado para qualquer pessoa que coloque os olhos na foto. Isso não quer dizer que o centro de interesse, seja o “objeto” localizado no centro da fotografia. Esta é a primeira regra para uma boa composição e a mais importante, pense e decida antes de disparar sua câmera e o que você realmente irá retratar.

  Preencha o enquadramento: Caso você queira contar algo em uma foto, preencha a maior parte deste espaço com este “algo”,  convertendo-o no centro da atenção. É comum que ao retratar, você queira incluir todos os elementos presentes em sua fotografia, não caia nesta tentação, isso só fará que seu “objeto” focado perca força.
 Apóie nas linhas: As linhas são elementos importantes nas artes visuais e são responsáveis pelos contornos e formas. São através das linhas que dirigimos o olhar do espectador, de uma lado para o outro da foto. As linhas horizontais , verticais e diagonais são elementos compositivos que aportam significado as imagens. Há também outro tipo de linhas, que são especiais, as são as convergentes. São linhas paralelas que acabam devido ao efeito da distância, convergindo-se em um mesmo ponto. 
Trabalhe o fluxo: O fluxo é o modo em que o olhar do espectador “viaja” de uma lado ao outro na fotografia, mediante o uso das linhas. O fluxo cria a ilusão de movimento (ou ausência dele). As linhas diagonais são consideradas mais dinâmicas, enquanto as horizontais e verticais são mais estáticas. Um equilíbrio cuidadoso entre os elementos estáticos e dinâmicos, darão um sentido global de movimento as suas fotografias.

Brinque com a direção: A direção é similar ao fluxo e também cria a sensação de movimento. A direção na fotografia se pode criar de várias maneiras, por exemplo: uma pessoa parada na faixa de pedestre com a intenção de cruzar a rua. Mesmo que ela esteja estática, sem movimentos de braços e pernas, pode transmitir a sensação de movimento. Isso porque podemos imaginar que no segundo depois, ela estará cruzando a rua. Da mesma maneira que apenas a frente de um carro apareça na parte esquerda da fotografia, sabemos que a parte traseira aparecerá um segundo depois na parte direita da mesma.
Os elementos repetidos: A repetição de certos elementos, bexigas e pássaros voando por exemplo, dão o sentido de relação de distintas partes de uma imagem. Um bando de pássaros pode estar se movimentando em grupo no céu, definindo formas interessantes no ar e agregando informação sobre direção na fotografia. Em outra ocasião, pode estar aportando fatores psicológicos, como  o sentido de união e companheirismo.

Uma fotografia pode ter um plano de fundo desfocado ou, então esta propriedade óptica especial pode melhorar a composição de suas fotos, isolando ainda mais o assunto principal de tudo o resto à sua volta. Pode desfocar o fundo ou de primeiro plano tendo comando sobre a profundidade de campo, que é controlado pela abertura da lente, o comprimento focal e a distância do objecto a partir da lente. Dominar esta habilidade é fundamental para imagens mais interessantes. As aberturas maiores (f/1.4 para f/2.8) efetivamente reduzir o DOF, assim como as lentes de distância focal maior.
As cores sempre dizem algo: Existem dois tipos de cores, as quentes e frias. O vermelho, laranja e amarelos fazem parte da gama quentes. As cores azul, verde e violeta fazem parte do grupo frio. As cores tem uma importância determinante na composição.  Não esqueça de prestar atenção ao contraste, que se define pela diferença de luminosidade entre as partes mais claras e escuras de sua fotografia.

Evitar fusões é a nossa sexta orientação para uma melhor composição.
 A fusão de fundo é desagradável, e poderá roubar a atenção do centro de interesse. Fusões de fundo são objetos ou linhas que estão excessivamente juntas ao assunto principal. Neste caso, a árvore parece estar saindo da cabeça da menina.
Três elementos: Parece existir uma percepção para os números ímpares nas fotografias, em especial para os grupos de três elementos. Um único elemento pode transmitir solidão, com dois a fotografia pode ficar equilibrada demais e estática, e quatro elementos podem ficar difíceis de serem distribuídos. Três elementos é um número que intuitivamente é escolhido por fotógrafos como centro de interesse para uma imagem.
A regra dos terços: Consiste em dividir a imagem em três terços imaginários, horizontais e verticais. Os quatro pontos de intersecção destas linhas, fixam os pontos adequados para situar o ponto de interesse na fotografia, distanciado-se do centro da fotografia.

Contraste em iluminação é outra maneira de adicionar a dimensão de uma imagem. Contraste de iluminação é a diferença entre o mais leve luz e escuro no escuro em uma fotografia. Manipulando esse elemento, faz maravilhas para estender a profundidade, a qualidade tridimensional de uma fotografia – um dos grandes feitos e pontos de referência para as suas fotografias. Você também pode usar contraste na forma e tamanho para afetar a complexidade de suas fotos; contrastando geometria inerentemente cria uma tensão dramática que que estávamos falando antes. Você se sente como não há mais a “história”. A foto da Torre Eiffel acima emprega contraste na iluminação e tamanho para aumentar a eficácia desta foto. O homem na silhueta parece ser quase tão alta como a Torre Eiffel eo padrão complexo da Torre Eiffel (mais pronunciada na silhueta) parece ser gravadas para o céu do por do sol vibrante vermelho. Imagine que fraca esta imagem seria se ele fosse tirada ao meio-dia.
Uma das belezas da fotografia digital é a relativa facilidade com que você pode fazer pós-processamento, algo anteriormente que só podia ser feito nos estúdios de revelações. Com o Photoshop você pode recortar uma imagem para melhores resultados estéticos. O corte é o processo de re-elaboração de uma fotografia para melhorar a composição. Nós todos vimos (ou talvez, tomado) fotos onde existem elementos de distração nas bordas do quadro, ou talvez algum objeto se intrometendo nas áreas secundárias do assunto principal. Você pode recortar a foto para eliminar esses elementos não desejados. Nesta foto, você pode ver que o original tinha uma altura muito e um outro fotógrafo estava de pé na foto! Ao recortar o quadro, toda a anteção vai para o assunto principal (a família). Elimine o fotógrafo da foto, mas ainda manter elementos reconhecíveis em vista para o espectador reconhecer como e onde a foto foi tirada.
O espaço negativo: Se consideram os espaços negativos, os grandes espaços vazios, normalmente branco ou preto dentro de uma fotografia, e geralmente situados nas laterais. O afastamento do elemento central da imagem, preenchendo o resto da fotografia com um espaço vazio, nos transmite a informação adicional de solidão, isolamento o calma à imagem.
3D- Frente e fundo: O conteúdo da frente e do fundo da imagem a ser retratada são importantes e ajudam nas composições de cores e linhas. Graças a abertura do diafragma, é possível controlar a profundidade de campo, que é que define a nitidez, ressaltando o ponto de interesse na foto.

Molduras naturais: Existem elementos que podem ajudar a colocar uma moldura em sua fotografia. Alguns destes elementos ficam claros em determinadas fotos, tampando parte da imagem e direcionando a atenção para o centro do elemento desejado. É comum a utilização de batentes de portas, janelas, árvores.
As curvas em “S”: As curvas em “s” ajudam bastante a compor sua fotografia e adicionar um toque de sensualidade, movimento e a direcionar a mirada do espectador. São elementos visuais presentes em estradas, caminhos, rios.
Para aumentar a qualidade de suas fotos que você deve certificar que o principal tema é de maior interesse será efetivamente posicionados no quadro que chamar a atenção do espectador exatamente para onde quiser, e enfatizar o assunto. Isto pode ser feito de várias maneiras criativas, artísticas e simbólicas. Tamanho, cor, forma, e como o objecto contrasta com o resto dos elementos na imagem (de primeiro plano, plano médio e fundo) são formas de isolar e dirigir a atenção para o assunto.
O conceito de menos é mais se presta efetivamente a quase tudo, e na fotografia não é excessão. Excessivamente complexo ou composição fotográfica tem o mesmo problema como frases complexas de um escrito, o que torna difícil para o público a compreender e apreciar a idéia de que está tentando ser transmitida.

Simples, neste contexto, não significa simplista, mas sim falta de elementos desnecessários que confundem ou são redundantes. Na fotografia a criação organizada, mas composições distintas simplificam ainda melhorar a entrega da idéia. O olho da mente do espectador pode fazer todo o trabalho pesado.