terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Iluminação perfeita

Aprenda a ajustar a luz com eficácia e obtenha ótimas fotos com nossas dicas
A iluminação é um elemento-chave na fotografia, e é responsável por quase todas as suas fotos boas ou ruins.

Praticamente tudo que emite luz pode ser uma fonte de iluminação para a fotografia, mas existem algumas principais, que iremos abordar neste artigo. A primeira divisão que se deve ter em mente é que existem três tipos de fontes de luz: naturais, artificiais e ambientes. Saber aproveitá-las em conjunto é muito importante.

Fontes de iluminação naturais são as luzes que estão no ambiente e fazem parte dele. O sol, claro, é a principal fonte de iluminação natural e pode se comportar de diversas formas, como veremos mais para frente. Das fontes de iluminação, ela é a que mais se modifica.
Outras fontes naturais são mais difíceis de serem observadas, principalmente nas cidades, já que à noite existe a iluminação dos postes e das casas. Porém, em um local completamente livre de luzes artificiais é possível conseguir fotografias lindíssimas utilizando a luz da lua, das estrelas e ocasionalmente de raios e auroras boreais.

Esses tipos de imagens podem ser considerados dois extremos da fotografia: a técnica Low Key se beneficia das sombras marcadas, das áreas escuras e da luz dura, enquanto para se criar uma foto do tipo High Key você precisa abusar da iluminação com luz suave, dos contornos invisíveis e do branco.
Com tanta diferença entre elas, é esperado que cada uma dessas técnicas de fotografia seja usada para um propósito diferente e é exatamente isso o que acontece. Low Key transmite um sentimento de tristeza, seriedade e mistério, enquanto imagens em High Key são alegres e passam a ideia de esperança e tranquilidade.
Quando se fala em dureza da luz, este nome pode não fazer o menor sentido, a princípio. Porém, o conceito é algo simples de se entender e ajuda muito o fotógrafo a conseguir o resultado desejado. Luz dura é aquela que incide diretamente sobre o objeto fotografado, causando uma sombra bem marcada e nítida. O sol, em um dia sem nuvens, projeta exatamente esse tipo de iluminação.
Já a luz suave é aquela que gera sombras sem contornos nítidos e não é possível dizer exatamente em que ponto essa sombra começa ou termina. Em um dia nublado, a luz do sol se comporta dessa forma.
Diferente de uma foto feita normalmente, na qual a iluminação é posicionada atrás da câmera, de frente para a cena, nesse caso você precisa ter luzes de absolutamente todos os lados. Como fazer isso sem estourar demais ou criar sombras múltiplas? A luz suave é a resposta.
Aprenda a...
Siga estas cinco dicas rápidas para obter fotos melhores
1 Inspire-se
Procure a luz e use a criatividade com o que estiver disponível. Busque sempre melhorar e iluminar o objeto principal de sua foto.
2 Iluminação perfeita para retratos
Equilibre a luz e traga os detalhes das sombras de volta reposicionando seu objeto
3 Preencha com o flash
Assuma o controle da direção do seu flash externo ou embutido na câmera e descubra como usar o flash de preenchimento.
4 Iluminação de natureza-morta
Tire algumas fotos deslumbrantes de natureza-morta simplesmente usando as luzes direcional e difusa de uma fonte de iluminação.
5 Edição
Não se preocupe se não conseguir registrar direto da câmera. Existem alguns passos simples de edição que você pode conseguir no Photoshop para melhorar sua iluminação.
Acessórios para melhorar a luz em suas fotografias
Apesar de ser fácil falar que, colocando a luz longe do modelo, ela se torna suave, na prática isso não acontece da forma ideal. Isso por que se você afastar demais a iluminação, ela pode se tornar fraca demais para fazer diferença na imagem.

Ai é que entram os difusores e refletores. Existem duas maneiras de “suavizar” a luz: filtrando-a ou rebatendo-a. Isto é, você pode usar um difusor, que age como se fosse uma nuvem para o sol, ou pode rebater a luz utilizando uma superfície clara e grande, como uma folha de cartolina ou a própria parede.
Materiais translúcidos, como uma folha de papel vegetal ou um difusor profissional, funcionam bem para filtrar a luz. Já para rebater, podem ser usados outros materiais caseiros, como folhas de cartolina brancas, lâminas de isopor, paredes brancas etc...
Para filtrar a iluminação, posicione o difusor entre a fonte de luz e o modelo ou objeto. Já para rebater, vire a luz de costas para o modelo e utilize o rebatedor para refleti-la. O uso de difusores pode ser feito em dias de sol, ao ar livre, para simular efeitos mais delicados.

Se você gostou dessas técnicas, porém não quer um efeito completamente High Key ou Low Key, é possível utilizar os conceitos no dia a dia para aproveitar melhor as sombras e a superexposição no que você estiver fazendo.