quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Fotografias são iguais aos outros produtos

“Fotografias são iguais aos outros produtos de consumo e podem gerar grandes lucros”
A fotografia tem divisões e subdivisões. Mas no ganho trata-se trata da captura de uma imagem para transferência ou conversão numa foto impressa não importando qual seja o assunto registrado, tamanho, acabamento etc. É um produto chamado fotografia.

Mudaram os hábitos e os usos, mas ambos estão presentes e avançando mais do que nossa compreensão pode assimilar. Nunca se usou tanto a fotografia como registro de memória e os meios utilizados disputam entre si qual será perpetuado ou o mais usado, e porque não dizer o preferido do usuário. Dados recentes nos mostram um quadro superotimista quanto à evolução do uso do produto chamado fotografia e de forma setorizada na sua captura.
 Em 2012, estão sendo capturadas e salvos 282 bilhões de imagens, 105 bilhões através dos smartphones, representando um aumento entre 2013 à 2010, tendo havido, portanto, evolução estonteante. Serão impressas 75 bilhões representando 28% do total, muito pouco.
“A fotografia tem se valorizado muito com a chegada da era digital”
 Imagens de celular participarão com 19 bilhões, com crescimento ao redor de 86% nos últimos anos. Já as imagens de câmeras digitais se manterão estáveis, assim o crescimento contará com o crescimento das imagens capturadas pelos celulares. Essa tendência tem que ser observada com muita atenção. Já o mercado mundial de books está projetado em 139 milhões, dobrando em volume em apenas três anos.

Seguindo isso, comentam que mães com filhos pequenos continuarão a ser as melhores consumidoras dos books. Interpreto os dados como alentadores, atestando que a fotografia como produto cresce em importância em nossas vidas. Surpreendeu-me o número das capturadas via celulares, e me faz pensar que seria bom repensarmos a forma como estamos tentando atraí-las para impressões.
 Trata-se de uma arte que passa obrigatoriamente pela prévia análise do comportamento das pessoas e aí existem infinitas variáveis a serem consideradas. Conhecer seus hábitos rende dividendo. Na outra ponta, o produto fotografia no segmento profissional vai bem, obrigado, e nem precisa de ajuda porque disparou, cresceu 28% nos últimos dois anos, e nesse segmento imprimem-se fotos.
Porém ainda precisamos melhorar a apresentação dos trabalhos. Vamos dizer que alguns estão produzindo belas fotos, mas que não são apropriadamente acondicionadas e é como embrulhar diamante num pedaço de papel. Para esses casos, como consequência, o preço de vendas sempre anda abaixo da média de mercado. Está na hora de parar com as afirmações de que os clientes gostam assim, ignorando que, com certeza, gostam porque não conhecem coisa melhor. Recomendamos uma vez ao ano atualizar sua apresentação do produto, chamado fotografia.

Caso você se especializou em uma área da fotografia ou conhece um lugar em particular, considere o fato de ensinar os outros uma forma de ganhar dinheiro, você pode ensinar a fazer esse tipo de fotografia ou como fotografia determinado lugar. Poucos fotógrafos sobrevivem deste modo. Quando se entrar nesse ramo deve-se estar preparado para responder muitas perguntas. O bacana disso tudo é que no meio desses passeios de ensino você pode estar fotografando também, assim fazendo fotos de stock para futuras vendas.  Uma forma de ganhar dinheiro é vendendo cópias de suas fotos em feiras livres, ou converse com donos de lojas e peça para colocar suas fotos nas paredes, isso ajudará muito. Restaurantes, bares, bancos, e outros comércios usam muitas vezes fotos em quadros para decorar seus ambientes. Entrar num acordo com o dono do local às vezes é a melhor saída, ele ganha a decoração grátis e você ganha o espaço para divulgação de seu trabalho. Isto requer algum  investimento em cópias das suas melhores fotos, mas algumas vendas podem pagar este investimento.