segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Espaço positivo e negativo

Uma fotografia é essencialmente uma tela retangular na qual o fotógrafo compõe uma imagem. É importante lembrar que o quadro inteiro, e não apenas os elementos que você pretende mostrar, aparece na foto final. O “espaço” extra, muitas vezes ignorado pelo fotógrafo iniciante – o céu, o campo, a parede -, também faz parte da imagem.
Com freqüência, esse espaço vazio pode ser usado como uma parte criativa ou provocativa do desenho geral. O objetivo do fotógrafo é reconhecer os dois tipos de espaço – o positivo e o negativo – e usá-los como complemento um do outro. Os termos não são usados aqui no sentido restrito, mas como uma maneira de descrever as partes principais e secundarias de uma composição.
Espaço vazio como objeto
Usar o espaço negativo é muito apropriado para comunicar a sensação de isolamento ou solidão – uma planta sozinha no deserto ou uma pedra despontando no mar, por exemplo. Pense no espaço vazio como um objeto, e então pense em sua posição. Você quer manter o centro de interesse e sua escala em um equilíbrio que reforce sua mensagem.
Em um dia claro e azul, tente fotografar do objeto de baixo para cima, em direção ao céu. O espaço negativo ao redor fará com que ele realmente se destaque.

O espaço negativo nesta foto, formado por varias mulheres vestindo burca, paira de maneira literal e metafórica sobre a menina muçulmana. James Nachtwey Sulawesi, Indonésia


As formações rochosas do Parque Nacional Bryce Canyon estão de prontidão contra o espaço negativo do céu claro e azul. John Eastcott e Yva Momatiuk Parque Nacional Bryce Canyon, Utah, EUA