quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Entenda melhor os modos da câmera

A melhor forma de entender o mecanismo básico de uma câmera é pensar no olho humano como comparação. Seja ela digital ou analógica, alguns conceitos fundamentais podem ser entendidos melhor desta forma.

Por exemplo, se você pensar na íris do seu olho é mais fácil para entender o que é o diafragma da câmera. Ele é o responsável por abrir e fechar a passagem de luz na lente, e pode estar bem aberto ou mais fechado.
Vamos te ajudar escolher quando usar um ou outro para que suas fotos fiquem mais bonitas e seu rendimento aumente. Falaremos apenas dos modos de disparos mais comuns porque eles podem variar de câmeras para câmera e de fabricante para fabricante.
Existem dois modos principais de ajustes em uma câmera: manual e automático. Se a sua câmera possui um menu circular (como o da imagem a seguir), com os modos de disparo desenhados nela, é fácil saber qual é qual: o manual é geralmente marcado por um “M” e o automático pode ter vários nomes, e normalmente o seu ícone é verde ou azul, diferente dos outros.
A câmera enxerga o ambiente e faz todos os cálculos sozinha. Um software fazendo isso não é tão perfeito quanto um humano, por isso modo automático não tem a mesma precisão que o modo manual. A vantagem é que você não precisa pensar em nada, apenas fazer o clique.
Os principais ajustes que precisam ser feitos são a abertura, a velocidade, o foco, o ISO e o balanço de brancos. É claro que existem outros, porém esses são bem importantes, e aprender a controlar cada um deles manualmente é fundamental.

A prioridade de abertura, indicada pelo “A”,  você controla o quanto o diafragma se abrirá e a câmera controlará o tempo de exposição. Dessa forma você pode controlar a profundidade de campo que interfere no foco da câmera. Use esse modo quando você quiser controlar a profundidade de campo para mostrar detalhes ou a cena toda. Em alguns momentos, será preciso uma velocidade muito pequena, com o tempo de exposição grande demais, por isso use um tripé, se quiser a foto nítida. A abertura do diafragma interfere diretamente na “profundidade de campo” da fotografia. Ou seja, uma abertura pequena, vai resultar em uma profundidade maior, e mais regiões da foto vão estar focadas. Já aberturas maiores, resultam em fotografias com pontos mais específicos de foco, pois a sua profundidade de campo é menor.
O que a câmara fotográfica tenta fazer é conseguir obter o nível de exposição recebido a 18% cinza, ajustando-o automaticamente. Isto significa que a quantidade de luz a passar por cada ponto da exposição é o mesmo. Porém, a imagem não tem apenas tons de cinza médios, tem também zonas escuras e claras. A câmara fotográfica mistura todos os brilhos e determina o cálculo para a velocidade do obturador ou para a abertura (dependendo da prioridade do modo selecionado) para que a exposição total seja equivalente a 18% de cinza, independentemente da imagem. Este cálculo é chamado de medição de luz. O modo de prioridade à abertura é usado para seccionar a velocidade do obturador; e o modo prioridade velocidade do obturador é usado para selecionar a abertura.

A medição da luz é o equivalente a decidir qual a quantidade de luz necessária para obter uma determinada fotografia. Formas diferentes de fazer isto dependem dos diferentes modos de medição da luz.
O modo esportes prioriza a velocidade ao tirar uma foto. Geralmente indicado pelo ícone de uma pessoa correndo, essa configuração da câmera é ótima para quando o objeto está se movendo.
Esse modo é o oposto do macro, ou seja, ele prioriza a velocidade exatamente porque em situações de esportes sempre há velocidade e para uma imagem nítida a velocidade tem que ser alta. Você pode usar o modo esporte para fazer fotos de crianças serelepes ou animais. Ele é representado pelo símbolo de uma pessoa correndo.
Apesar do nome, não quer dizer que ele seja adequado apenas para fotografar eventos esportivos. Você pode usá-lo, por exemplo, para tirar fotos dos seus filhos. Crianças dificilmente param para serem fotografadas, e com esse modo as chances de conseguir uma foto nítida são maiores.

Está com uma bela paisagem na sua frente? Então selecione o modo que é simbolizado por duas montanhas que faça o clique. A câmera, neste modo de disparo, faz exatamente o contrário do que acontece no macro, ela ajusta a abertura do obturador para uma profundidade de campo grande e focar a maior área possível na fotografia.

Pode ser uma vista bonita, um grupo grande de pessoas ou qualquer área aberta que precise estar inteiramente focada. A câmera, neste modo de disparo, faz exatamente o contrário do que acontece no “macro”. Ela ajusta a abertura do obturador de forma a deixar a profundidade de campo bastante grande, e focar a maior área possível na fotografia.
Indicado pelo símbolo de uma flor, o modo macro é um grande queridinho da maioria dos fotógrafos porque confere um visual bonito às fotos focando o primeiro plano e desfocando o segundo dando destaques aos detalhes.
O modo retrato, indicado pelo ícone de uma pessoa, é bem parecido com o macro, porém a sua profundidade de campo é um pouco maior. Ele permite fotografar pessoas, ou objetos maiores, focando-as completamente e desfocando levemente o fundo. No modo macro, o nariz e os olhos poderiam ficar focados, mas as bordas do cabelo já estariam fora do foco.
Como o próprio nome diz, esse modo deve ser usado para fazer retratos porque otimiza os resultados de cores e nitidez. Óbvio que você pode usar esses modos fora do objetivo para o qual eles foram feitos, seja criativo! Ele é simbolizado por um rosto feminino de perfil e deve ser usado para qualquer objeto que seja grande demais para o modo macro.
O modo Noturno simbolizado pelo desenho de uma lua, ao fotografar no modo noturno, procure sempre usar um tripé ou apoio.