quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Dicas para fotografar aves

O tema é fácil de encontrar e muito curtido pelos fotógrafos. Contudo, não basta clicar o bico para se orgulhar da imagem. É preciso caprichar para que a foto seja realmente boa. Confira:
Fotografar ave, principalmente pássaros, é um tema que atrai muitos fotógrafos. Porém, muita gente não capricha no enquadramento, na composição e no foco, o que torna a foto sem graça, mesmo sendo um passarinho belo e colorido.

A forma como você se comporta diante dos pássaros influencia tanto como o bom domínio de técnicas. Seu comportamento na aproximação é que vai permitir fotografar a uma distância em que seu equipamento consiga registrar adequadamente.
Pássaros são animais muito sensíveis a movimentos. Eles vão quase sempre sair voando se você chegar muito perto deles. Tenha paciência e espere que eles venham até você e não faça movimentos bruscos nem barulho. Outra dica é não usar roupas muito coloridas quando for fotografar aves. Tente usar vestes que imitem as cores do ambiente em que está fotografando.

Compor uma fotografia de pássaro não é diferente de compor qualquer outro tipo de fotografia. Além de bom gosto, é sempre bom tentar seguir ideias como a regra do terço e a de respiro da cena. Uma dica boa de composição para fotografias de aves é enquadrar de baixo para cima, usando o céu como plano de fundo. Dessa forma, você evita poluir a imagem usando a vegetação como fundo.
As aves maiores com garças, patos, coruja, carcará, tem o voo mais lento o que facilita a captura destas imagens, já outras aves menores são mais rápidas o que dificulta um pouco. Então vamos usar como exemplo estas aves, que são típicos de minha região.

Geralmente, as lentes de maior distância focal (100 mm, 200 mm, 300 mm, etc) são melhores para fotografar pássaros. Com essas lentes, é possível ficar mais distante do animal e mesmo assim registrar detalhes. Para usar lentes como essas, é preciso tomar uma série de cuidados porque qualquer tremor da mão do fotógrafo pode arruinar a imagem.
Lentes profissionais costumam ter um sistema de estabilização interno. Caso a sua não tenha, uma regrinha simples pode ajudar a garantir imagens nítidas e sem borrões:  a velocidade de captura deve ser igual (ou mais próxima) à distância focal da lente. Dessa forma, se você tem uma lente de 300 mm sem estabilizador, você deverá usar a velocidade mínima do obturador de 300.

Além disso, uma lente clara – f1.8, f2.4 – também pode ser interessante. Essas lentes produzem um efeito de fundo desfocado na imagem, ajudando a obter uma composição mais limpa destacando a ave.
Fotografar aves na luz do sol é uma ótima opção para quem tem equipamentos amadores. Esse tipo de luz, além de permitir um obturador mais rápido (congelando a ação da ave), ajuda a destacar os detalhes do animal.

Fotografia puramente descritiva não apresenta muito interesse hoje em dia, a menos que você esteja à procura de espécies desconhecidas, necessitando de muita preparação para serem encontradas e fotografadas. As melhores horas do dia para obter uma iluminação boa são um pouco antes do sol se pôr e um pouco depois do sol nascer. Nessas horas o sol ganha uma coloração amarelada e natural e a luz é melhor distribuída, evitando sombras estranhas.
Para fotografar aves brancas ou muito claras é aconselhável tirar várias fotos, indo da exposição média (sem correção) a uma subexposição proposital, de -1 até -1,5 pontos. Para isso, use o modo de bracketing da câmera ou faça manualmente.

Também é possível fazer todas as fotos com o ajuste de exposição que parecer mais adequado (-1 ponto, por exemplo), mas o comportamento do modo de medição multizona não é sempre condições difíceis.