quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Cientistas querem clonar mamute

É a primeira vez que esse mamute mumificado é colocado em exposição pública. Yuka foi encontrado há três anos na Sibéria e os paleontólogos acreditam que ele morreu entre os seis e 11 anos de idade, há 39 mil anos.

Um dos pesquisadores envolvidos com a descoberta de Yuka, Semyon Grigoriev, disse que o mamute está assim tão bem conservado porque passou todo esse tempo congelado. Ele disse supor que o mamute possa ter caído ou ficado atolado em algum lugar até morrer, o que explica a parte inferior do corpo do animal ter ficado bem conservada. Em compensação, o tronco superior foi praticamente todo corroído por predadores pré-históricos.